Grande entrevista a Eduardo Continentino

MAQUETE Contando com a parceria da TVCABO que comercializa os seus produtos, a MultiChoise definiu a sua estratégia para os próximos tempos com o objectivo de recuperar e aumentar a clientela.

A operar há 18 anos em Angola, a multinacional disponibiliza desde o início de Abril, um novo pacote, designado “Grande+”, que custa 6.600 kwanzas e traz como novidades os canais Sic Notícias, Super Sport Máximo 1 e 2 e o CNN.

A DSTV pertence a um grupo internacional que tem acções nas Bolsas de Londres (Inglaterra) e Joanesburgo (África do Sul). Angola é o seu maior mercado lusófono e na entrevista que concedeu a Revista IP o seu Director Geral, Eduardo Continentino anuncia a abertura de lojas, pelo menos, em todas as capitais das 18 províncias do país e sublinha que não há desânimo perante a crise económica nem diante da concorrência, mesmo havendo fornecedores que detêm a exclusividade de alguns canais de televisão por satélite.

Angola é o maior mercado lusófono da MultiChoise

iP – Como é que descreve a Mul- tichoice Angola?

EC – A Multicoice Angola é uma divisão da Jembas, Assistência Técnica, Lda. É parte da Multichoice África Limited (“Multichoice África), operadora de televisão por subscrição pioneira no continente africano, lançou o primeiro serviço digital por satélite na década de 80. A Multichoice África fornece serviços “Pay TV” digitais de multicanais prove- nientes de Africa, América, China, Ásia e Europa., oferecendo (há mais de vinte anos) tecnologia inovadora e uma selecção de pacotes, contendo canais “Premium” de TV para assinantes em mais de 50 países africanos e ilhas adjacentes do oceano Índico. A mesma é uma operadora de televisão por subscrição multiplataforma que disponibiliza entretenimento em qualquer lugar e momento, através de diversas plataformas e dispositivos tecnológicos, incluindo a DSTV via satélite e a GOTV por transmissão digital terrestre. En- quanto serviço “Pay Tv” de elevada qualidade em África, a empresa as-segurou sempre tecnologia, conteúdo e serviço de última geração, o que resultou em melhorias para os seus assinantes.

“Queremos melhorar com foco na qualidade e satisfação dos clientes”

iP – O que falta para cobrir no continente africano?

EC- Estamos presentes pratica- mente em todos os países da África abaixo do Sahara, mas em poucos países que falam português. Porém, isto não nos afecta, porque continuamos a investir muito no mercado lusófono a nível de África, especicamente em Moçambique e Angola, que é o nosso maior mercado em português. Temos muito interesse em continuar a investir neste país, onde estamos há 18 anos.

iP – Qual é o balanço que faz dos 18 anos de presença em Angola?

EC- Com base em pesquisas, pos- so dizer que somos uma marca extremamente querida e reconhecida em Angola. As pessoas lembram e reconhecem que a DSTV foi, durante muito tempo, a única opção para os angolanos verem o mundo. E notamos que isso é reconhecido pelos nossos clientes angolanos. Então, posso armar que a nossa penetração neste mercado é muito interesante, baseada neste reconhecimento que recebemos.

Até  final de 2019 haverá um crescimento acentuado de clientes

iP – Pode falar mais sobre os vossos investimentos?

EC- Assumimos que ao longo destes 18 anos cometemos erros, é normal. Um deles foi ter poucos pontos de presença pelo resto do país: a Multichoise deveria ter esta- do mais próximo e ser mais acessível aos clientes, facilitar mais os paga- mentos, a assistência técnica e prestação de serviços em geral. Começa- mos a mudar isso nos últimos dois anos, com a expansão da nossa rede de agentes e de lojas próprias, que providenciam um serviço diferenciado e são 100% controladas por nós, porque a qualidade impõe-se. As lojas são muito importantes para os produtos que comercializamos. Já temos 14 lojas e pensamos ultrapassar as 20 até final do ano.

iP – Essas catorze lojas correspondem ao mesmo número de províncias que pretendem abranger?

EC- Ainda não estamos em todas as províncias, mas é justamente essa a intenção. Marcar presença em to- das as capitais provinciais. Mas fora de Luanda estamos em locais que não tinham lojas, nomeadamente no Huambo, Benguela, Cuanza Sul, Huila, Saurimo, Cuito, Luena, Caxito, entre outras localidades.

“A empresa assegurou sempre tecnologia, conteúdo e serviço de última geração”

iP – Perspectiva da Multichoice Angola para os próximos três anos?

EC- Todo nosso planeamento estratégico é feito de três em três anos. Obviamente que 2017 será muito difícil, por conta da questão

 

Eduardo-continentino
Eduardo Continentino
Experiência Pro ssional: Director Executivo (CEO) da INFRASAT, companhia angolana, Director Co- mercial da empresa angolana Mo- vicel, Foi também Manager regional da empresa e da subsidiária brasi- leira da America Móvil Group. Sales Manager da empresa BCP Teleco- municações. Formação Académica: FESP – Uni- versidade de Pernambuco FESP – Universidade de Pernambuco onde fez uma pós graduação em Organi- zational Planning and Management e frequentou a IABFM (International Academy of Business and Finan- cial Management IABFM), onde se diplomou em International Change Manager, frequentou igualmente a Universidade Católica de Pernam- buco e se graduou em Business Management

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s